quinta-feira, 22 de abril de 2010

Projeto 2 (Arte Contemporânea) - Através do Espelho

TEXTO: Com a regravação de um dos maiores clássicos da literatura infantil o filme de Tim Burton fez voltar a tona todo o universo lúdico e muitas vezes perturbador que encontrávamos no pais das maravilhas de Alice. Mas para mim esse amor e admiração pela obra de Lewis Carroll, pelo filme criado por Walt Disney e pelo próprio Tim Burton não são recentes, já faz muito tempo que tenho Alice como uma das minhas personagens favoritas e seu mundo totalmente lunático, um palco ideal e vasto para vários projetos. Iniciarei com uma instalação feita para retratar o mundo que Alice conheceu, mas com pitadas e críticas a respeito da realidade em que vivo, do mundo atual. Não preciso ir através do espelho para ver coisas que julgo não serem reais, alguma coisas gostaria mesmo que fossem fruto da imaginação. E aqueles caminhos, o Mestre Gato ou o Chapeleiro Maluco, será que existem de verdade? A Rainha de Copas com toda aquela tirania, o exército de cartas de baralho...Para mim a poção ainda faz você diminuir para passar por uma minúscula porta e chegar a Wonderland, mas esse pais das maravilhas depois de um tempo não é mais tão maravilhoso assim a poção é vermelha e esse vermelho não representa groselha ou suco de morango, longe disso, é sangue. E os biscoitos que fazem você crescer? Estarão lá também, mas não lhe farão crescer e não te levaram para lugar algum. O espelho será apenas uma moldura, o reflexo não existe mais, apenas finas linhas que se cruzam dentro dele. A frente uma mesa toda branca, em cima dela a garrafa escrita Beba-me, os biscoitos onde estará escrito Coma-me, uma xícara e uma pequena chave que abrirá a porta do País das Maravilhas. Nós pés da mesa subirão rosas de jornal, rosas brancas que a rainha mandou pintar de vermelho, ela manda obedecemos, e esse vermelho esse sangue que a rainha mandou colocar nas rosas, o jornal, as manchetes, as notícias, as mortes a desigualdade, a injustiça, a opressão e porque não um sentimento extremamente pessoas a respeito destas rosas pintadas de vermelho. Como Alice remete a algo sereno, lúdico bizarro e maravilhosa ao mesmo tempo, procurei organizar os objetos de uma forma doce, curvilínea , nada bruto nada agressivo demais.

O trabalho inicialmente foi pensado para que houvesse interação do público, mas na organização deste no espaço da universidade creio que isso não será possível. As linguagens se mesclam neste trabalho, objeto, pintura, tecelagem, é um misto de alternativas, um misto de possibilidades.









Creio que o trabalho pode ser considerado instalação, inicialmente, mas na prática ela tem algumas restrições então para mim será objeto instalado.

Um comentário:

Luis disse...

Eu Vi!!!! *---*

Amei!!!!

Está de parabéns fia Querida!!!

=D